sexta-feira, dezembro 06, 2013

Na morte de Mandela

Publicado como post no Facebook, 16 Dezembro 2013

Há milhões de lugares merecidos no panteão da Humanidade. Acredito que são mesmo milhões. Muitos são anónimos e o seu nome nunca foi celebrado, mas são milhões. Milhões que merecem a nossa admiração e a nossa memória, que iluminaram as vidas de muitos outros, com graça, com generosidade, com abnegação, com ideias, com um sorriso, com invenção, com beleza, com um sonho de paz e justiça. Há pessoas comuns e pessoas famosas, há artistas e pensadores, há sábios e mártires, há heróis e santos neste panteão, que é o coração da Humanidade.

Mas há alguns a quem não podemos deixar de reservar um lugar especial neste panteão, e entre esses estão Gandhi, Martin Luther King e Nelson Mandela, heróis e santos, homens de acção e de paz, que transformaram o mundo num sítio melhor porque não só mudaram o seu tempo como nos deram a esperança. Mandela deixou-nos mais ricos porque nos permitiu acreditar na paz quando só a guerra parecia uma solução, porque nos permitiu acreditar na reconciliação quando só a vingança parecia justa.


Não posso deixar de recordar o poema de Manuel Bandeira, com Irene a pedir licença a S. Pedro para entrar no céu e a resposta de S. Pedro, bonachão: - Entra, Irene. Você não precisa pedir licença.


Mandela também não.

1 comentário:

heretico disse...

nunca o poema de Manuel Bandeira terá sido citado tão a propósito...